Burocracia no Setor de Recursos Humanos de uma Autarquia

Autores

  • Luiz Fernando Almeida Pereira
  • Sheila Serafim Silva

DOI:

https://doi.org/10.20401/rasi.2.2.86

Palavras-chave:

Burocracia, Gestão por Competências, Administração Pública

Resumo

Recursos Humanos (RH) é a área responsável por organizar e produzir os processos de gestão de pessoas dos servidores públicos de uma Autarquia. Atualmente, a burocracia que norteia os procedimentos e regras na área de RH tem sido aplicada de maneira desatualizada em algumas instituições públicas no Brasil, causando alguns problemas que por sua vez interferem no andamento eficiente, prático e objetivo dos processos nos setores de RH. Assim, o objetivo deste estudo é analisar de maneira crítica e integrativa a burocracia no setor de recursos humanos de uma Autarquia Federal Brasileira vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI). Para isso, realiza-se um estudo de caso abordando um setor da Coordenação de Recursos Humanos desta Instituição. A tomada de decisão ou propostas de intervenção é baseada em estudo bibliográfico, confrontando com a observação da rotina do setor, incluindo os seus procedimentos executados. Após a identificação dos problemas administrativos do setor, que incluem principalmente processos desatualizados e formação acadêmica inadequada, a gestão por competências e por resultados são discutidas e propostas para orientar e ajustar os processos e fluxos de trabalho. Portanto, propõe-se neste trabalho ideias para uma flexibilidade de projetos, por meio da atualização dos fluxos de processos, que visem tornar mais eficiente o serviço público dentro do setor de recursos humanos da instituição, motivando, por conseguinte os servidores, e resultando na valorização e qualidade do trabalho do setor.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Bergue, S. T., Camões, M. R. S., Pantoja, M. J. (2010). Gestão de Pessoas: bases teóricas e experiências no setor público. In: Schikmann, R. Gestão Estratégica de Pessoas: bases para a concepção do Curso de Especialização em Gestão de Pessoas no Serviço Público. Brasília: ENAP, cap. 1: 9-28.

Bergue, S. T., Camões, M. R. S., Pantoja, M. J. (2010). Gestão de Pessoas: bases teóricas e experiências no setor público. In: Bergue, S. T. Especialização em Gestão de Pessoas no Serviço Público: uma perspectiva da vivência docente no contexto curso. Brasília: ENAP, cap. 2: 29-47.

Bonoma, T. V. (1985). Case research in marketing: opportunities, problems, and process. Journal of Marketing Research, 22: 199-208.

BRASIL (2006). Decreto de Lei nº. 5.707, de 23/02/2006. Institui a Política e as Diretrizes para o Desenvolvimento de Pessoal da administração pública federal direta, autárquica e fundacional, e regulamenta dispositivos da Lei no 8.112, de 11 de dezembro de 1990.

Bressan, F. (2004). O método do estudo de caso e seu uso em administração. Revista ANGRAD, Salvador, 5(1): 24-40.

Carbone, P. P., Brandão, H. P., Leite, J. B. D., Vilhena, R. M. P. (2006). Gestão por competências e gestão do conhecimento. 2. ed. Rio de Janeiro: FGV.

De Paula, A. P. P. (2005). Administração pública brasileira entre o gerencialismo e a gestão social. Revista de Administração de Empresas, 45(1): 36-49.

Fevorini, F. B., Silva, R. T., Crepaldi, A. M. (2014). Gestão por competências no setor público: exemplos de organizações que adotaram o modelo. Revista de Carreiras e Pessoas, IV(02): 128-142.

Goode, W. J.; Hatt, P. K. (1969). Métodos em Pesquisa Social. 3ªed., São Paulo: Cia Editora Nacional.

Mafra, F. (2005). Administração pública burocrática e gerencial. Âmbito Jurídico, Rio Grande, VIII (21). Disponível em: <http://ambito-juridico.com.br/site/?n_link=revista_artigos_leitura&artigo_id=503&revista_caderno=4> Acesso em: julho/2016.

Matos, F. R. N.; Lima, A. C. (2007). Organizações modernas e a burocracia: uma “afinidade eletiva”? RAE-eletrônica, 6(2): 1-11.

Matos, R.A. (1982). O desenvolvimento de recursos humanos na administração pública: Do modelo tecnocrático ao modelo democrático. Revista de Administração Pública, 16(3): 4-24.

Mello, M. L. B.; Amâncio Filho, A. (2010). A gestão de recursos humanos em uma instituição pública brasileira de ciência e tecnologia em saúde: o caso Fiocruz. Revista de Administração Pública, 44(3): 613-636.

Mello, S. P. T.; da Silva, F. M. (2011). A noção de competência na gestão de pessoas: reflexões acerca do setor público. Revista do Serviço Público, Brasília: ENAP, 167-186.

Motta, F. C. P.; Bresser-Pereira, L. C. (2004). Introdução à organização burocrática. 2ª Ed. São Paulo: Pioneira Thomson Learning.

Olivieri, C. (2011). Os controles políticos sobre a burocracia. Revista de Administração Pública, 45(5): 1395-1424.

Pires, A. K. et al. (2005). Gestão por competências em organizações de governo. Brasília: Escola Nacional de Administração Pública, ENAP.

Rothwell, W. J., Kazanas, H. C. (1992). Mastering the instructional design process. San Francisco: Jossey-Bass.

Silva, F. M. e Mello, S. P. T. (2013). A implantação da Gestão por Competências: práticas e resistências no setor público. Revista Eletrônica de Administração e Turismo, 2(1): 110-127.

Thompson, V. A. (1967). Moderna organização. Rio de Janeiro: Centro de Publicações Técnicas da Aliança para o Progresso Missão Norte-Americana de Cooperação Econômica e Técnica no Brasil – USAID.

Weber, M. (1999). Sociologia da dominação. In: Economia e sociedade: Fundamentos da sociologia compreensiva. Vol. 2, São Paulo: Universidade de Brasília, cap. 9: 187-580.

Yin, R. K. (1989). Case study research - design and methods. Sage Publications Inc., USA.

Zarifian, P. (2001). Objetivo competência: por uma nova lógica. São Paulo: Atlas.

Downloads

Publicado

2016-11-29

Edição

Seção

Artigos Científicos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)